Pequeno tratado sobre um corpo em decomposição

Henrique
By Henrique fevereiro 13, 2017 08:00 Updated

Pequeno tratado sobre um corpo em decomposição

Story Highlights

  • Decomposição
  • Decaimento
  • Cadaverina
  • Putrescina
  • Ácido butírico

Related Articles


Quem mexe com produtos químicos não precisa ser muito experiente para perceber que alguns compostos orgânicos, especialmente os que contêm enxofre (S) e nitrogênio (N), são caracterizados por um cheiro pútrido e sufocante que varia de intensidade dependendo do composto. Faz, também, menos de 150 anos que a morte vem sendo encarada como um fato simplesmente mecânico e material, tendo suas reações químicas estudadas, quantizadas e entendidas do ponto de vista físico, químico e biológico.

Um corpo vivo possui, naturalmente, miríades de bactérias e organismos nocivos que permanecem sob controle devido a fatores como o pH natural, a temperatura interna e a agentes reguladores que são gerados pelo próprio corpo. Depois da morte, sem ter condições de se defender, o corpo começa a passar por um processo chamado “decaimento”, que é quando as bactérias e protozoários hospedados no corpo podem agir livremente sem os fatores limitantes do corpo vivo de outrora. Além disso, também moscas e insetos tornam-se livres para depositar ovos nas feridas e nas cavidades naturais do corpo (ânus, boca, ouvidos, olhos…).

As bactérias nocivas, presentes nos intestinos e que antes se alimentavam de matéria ali presente, agora passam a se alimentar do intestino propriamente dito e conseguem se propagar para o interior do corpo, corroendo os outros órgãos internos. Os fluidos digestivos presentes nos intestinos vazam e, por sua vez, ajudam na corrosão do interior do corpo.

Nessa etapa, a Lisina presente no corpo começa a sofrer uma reação de descarboxilação por intermédio de uma enzima chamada LDC, liberando CO2 e formando uma substância chamada cadaverina, que é responsável pelo odor de carne apodrecida.

Reação de descarboxilação da lisina

Reação de descarboxilação da lisina

O CO2 produzido pela Lisina transformando-se em cadaverina soma-se aos outros diversos gases (sulfureto de hidrogênio, metano, cadaverina e putrescina) produzidos pelas bactérias anaeróbicas que estão devorando o interior do corpo e fazem-no inchar como se fosse um balão. O acúmulo de gases dentro do cadáver, além de inflá-lo, gera uma pressão que força a saída de fluidos pelos vasos sanguíneos e pelas cavidades corporais.

As larvas de insetos começam a eclodir e aceleram o processo de decomposição da carne secretando enzimas digestivas e infectando o corpo com novas bactérias. A massa de vermes trabalha em uníssono comendo a carne, compartilhando calor e aproveitando as enzimas digestivas uns dos outros para facilitar a propagação pelo interior do corpo.

Num ambiente considerado “normal”, de 10 a 20 dias após a morte começa o que é chamado de putrefação negra. Nessa etapa o corpo inchado pelos gases colapsa e murcha, deixando à mostra partes pretas de carne apodrecida. A maior parte dos fluidos corporais vaza e torna o solo em torno do cadáver úmido e rico em vermes. O número de insetos devorando o cadáver cresce e sua atividade faz com que a temperatura do corpo aumente significativamente.

20 a 50 dias depois da morte inicia-se a etapa chamada de fermentação butírica. Quase toda a carne do cadáver se foi. O cheiro pútrido de carne dá lugar ao cheiro de queijo devido à presença de ácido butírico e este novo odor atrai uma nova gama de carniceiros para o cadáver. A escassez de carne mole faz com que os insetos que possuem bocas em forma de gancho quase desapareçam mas torna o cenário muito atraente para insetos com bocas capazes de mastigar, como besouros e escaravelhos, que se alimentarão da pele e dos ligamentos.

ácido butírico

O ácido responsável pelo cheiro de queijo

De 50 a 365 dias depois inicia-se o decaimento seco, que é um processo muito lento e quase imutável. Quase todo o pelo já desapareceu, restando-lhe somente (quando muito) alguns traços e os ossos.

Henrique
By Henrique fevereiro 13, 2017 08:00 Updated